A TROMPA

Disco da Semana


artigos recentes


LIGAÇÕES QUENTES


Arquivo


Tape Junk em curta sobre o novo disco

Rui DinisRui Dinis

tapejunk_cd

Disco homónimo, “Tape Junk” (Pataca Discos, 2015) foi gravado e produzido por Luís Nunes (aka Benjamin, antes também Walter) em Alvito, distrito de Beja, Alentejo. É a curta de Tape Junk para a trompa.

Numa frase apenas quem são Tape Junk?
São uma banda de Lisboa que têm um baixista fabuloso.

Um adjectivo que caracterize a música de Tape Junk?
Simples.

Porquê o título de Tape Junk para o novo disco?
Este disco é o segundo de Tape Junk mas é o primeiro como banda. Foi tocado pelos quatro ao contrário do primeiro que teve outra abordagem. O “The Good & The Mean” foi uma experiência, o ínicio do projecto ainda a solo. Só depois do disco sair é que se formou a banda.

Em duas ou três linhas, como se caracterizaria o novo disco?
O novo disco foi gravado no sótão do Luís Nunes em Alvito, no Alentejo. É quase como se o resultado final fosse um concerto nosso em casa dele.

Qual a faixa que melhor encarna o ‘espírito’ de Tape Junk? Porquê?
Para mim é o Me and My Gin. Não sei explicar porquê, apenas sinto que é essa.

Uma razão muito forte para ouvir o novo disco?
Quem gosta do primeiro disco devia ouvir este porque é bem diferente. Quem não gosta do primeiro disco devia ouvir este pela mesma razão.

O que esperar de Tape Junk ao vivo?
Nos próximos concertos estamos a planear tocar o disco novo na íntegra.

Como vão ser os próximos tempos de Tape Junk?
Tocar ao vivo o máximo possível. Para já estão confirmados o Festival Lá Fora, Festival Med, Nos Alive e CCBeat.

[FACEBOOK]

Rui Dinis
Author

Rui Dinis é um pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado intermitentemente desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Comments 0
There are currently no comments.