discos de uma vida

DISCOS DE UMA VIDA|3ª Parte: até 1979 – 5º

Por em 22 Set 2006

Magistralmente progressivo…outra vez!

#05 – “10 000 anos depois entre Vénus e Marte” – José Cid (Orfeu, 1978)

Dois dias, dois álbuns, duas vezes José Cid, duas paragens obrigatórias. Obra conceptual do melhor rock progressivo nacional, “10 000 anos depois entre Vénus e Marte” é internacionalmente considerado um dos melhores discos do género. Entre Moogs, pianos, Mellotron, teclas e mais teclas, tudo vive num disco brilhante influenciado por uma certa ideia, uma certa história que vem do espaço. Intemporal.

Ouvir algumas amostras de “10 000 anos depois entre Vénus e Marte”. Ouvir o tema “O Caos” completo.

#06 – “Quarteto 1111” – Quarteto 1111 (Columbia, Valentim de Carvalho, 1970)
#07 – “Mestre” – Petrus Castrus (Guilda da Música, Sassetti, 1973)
#08 – “Pois Canté!” – Grupo de Acção Cultural (1976)
#09 – “Lá Fora a Cidade” – Perspectiva (Imavox, 1977)
#10 – “Mudam-se os Tempos, Mudam-se as Vontades” – José Mário Branco (Guilda da Música, 1971)
#11 – “Transparências” – Luís Cília (Guilda da Música, 1978)
#12 – “Homo Sapiens” – Saga (Movieplay, 1976)
#13 – “Um Homem na Cidade” – Carlos do Carmo (PolyGram, 1977)
#14 – “Bota-Fora” – Júlio Pereira e Carlos Cavalheiro (Orpheu, 1975)
#15 – “Mistérios e Maravilhas” – Tantra (Valentim de Carvalho, 1977)
#16 – “Música Moderna” – Corpo Diplomático (Nova, 1979)

TAGS
RELATED POSTS

DEIXE UM COMENTRIO

Rui Dinis
Portugal

Rui Dinis é um bi-pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Disco da Semana
Os últimos…de há muito
Redes Sociais
Por decisão pessoal, o autor deste blogue não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.