recordações

RECORDAÇÕES|"Sit On My Soul" – António Olaio & João Taborda

Por em 23 Mai 2007
Já foi há algum tempo. Já.
Entretanto, fui de novo caçado por “Bambi is in Jail”. Bem caçado. O tema de abertura não parece tão marcante – dá nome ao álbum, mas “Bambi is in Jail”, caçou-me. “What Happened to Henri Matisse”, continua – e bem – este recambolesco puzzle musical.
António Olaio, o repórter mais estrábico de todos – noutros tempos, o artista plástico que também é músico. Letrista. Depois, João Taborda, o investigador científico de biologia celular e molecular que também é músico. Compositor. Assim nasceu a dupla António Olaio & João Taborda.
Segundo álbum de António Olaio & João Taborda, lançado depois de “Loud Cloud” (Lux Records, 1996), “Sit On My Soul” é mais uma daquelas pequenas pérolas mais ou menos esquecidas ou ignoradas. Nada de muito complexo; uma guitarra, uma voz e pouco mais – aqui e ali, também há piano, trompete, clarinete, sax, violino, etc. Mas porque a complexidade não é realmente tudo, é o gigantismo desta aparente simplicidade que faz com que “Sit On My Soul” seja efectivamente aquela pequena pérola esquecida ou ignorada. 2000 foi o ano. A alegria nunca é muita, é verdade; mas também não parece haver motivo para tal.
Outra hipótese; junte-se um contador de histórias, exímio performer, a um compositor, guitarrista em sintonia, capaz de com uma guitarra apenas, fazer com que tudo pareça possível. Quase tudo numa guitarra. Um quase tudo feito tudo pela presença forte de António Olaio. Não é possível ouvir este disco e não pensar nas muitas propostas do folk-rock nacional dos últimos anos. Não é possivel. Não é sempre, mas não parece possível. Nem são arranjos comuns; há diversidade, exploração, há procura de novas formas, há variação no tocar, no interpretar, no exprimir de emoções. É isto que apaixona em “Sit On My Soul”; saber que com as mesmas ferramentas, canção após canção, a obra sai sempre diferente. Incrivelmente cativante.
É um disco de canções. Com sentido – os arranjos. São histórias, aqui, como mais ou menos sentido – geralmente menos. Mesmo que Bambi esteja na prisão; mesmo que a agricultura seja telepática ou que tenhamos de barbear o nosso coração antes de amar, algum do non sense ou surrealismo das letras de “Sit On My Soul”, fazem deste disco um peça importante do início do nosso séc XXI.
Já foi há algum tempo. Já.

capa de sit on my soul
“Sit On My Soul” – António Olaio & João Taborda (Lux Records, NorteSul, 2000)

01 Sit on my soul
02 Bambi is in jail
03 What happened to Henri Matisse?
04 Foggy days in old Manhattan
05 Where are my glasses?
06 Today I discovered stereo sound
07 Sunset daisy
08 The guy who wrote the anonymous letters
09 Potato farm
10 Telepathic agriculture
11 My left hand is changing
12 I have seen the light
13 Sunset T.U.S.
14 Shave your heart before you love

tipo Pop-Rock/Alternativo

TAGS
RELATED POSTS

DEIXE UM COMENTRIO

Rui Dinis
Portugal

Rui Dinis é um bi-pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Disco da Semana
Os últimos…de há muito
Redes Sociais
Por decisão pessoal, o autor deste blogue não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.