COMPARTILHE

De regresso ao vinil, negra e esquecida rodela.
Regresso marcado pela voz persistente de um dos grandes amigos do punk-rock-billy português de sempre: Jorge Bruto. Ainda assim, onde a recordação estagna primeiramente tem outro nome: Emílio e a Tribo do Rum, isso sim, era rock’n’roll a jorrar sem fim. Confesso que de Capitão Fantasma as recordações ao vivo são poucas, mesmo nulas. A tribo chefiada por Jorge Bruto até 1988, haveria de dar lugar ao Capitão Fantasma (e eles andam por aí), sem que a filosofia se alterasse extraordinariamente. Sempre a rock’n’rolar.
O disco data de 1992 e o Capitão Fantasma da altura, Bruto, Pinela, Nazaré e Tiago (com Luis Sampaio ao piano no apoio), insistiam em “massacrarem-nos” com o simples e delicioso rockabilly do momento. De polpas em riste, “Hu Uá Uá” dá o mote mas o “Rock das caveiras” é que fica, para sempre!
Recordações ou nem por isso.

“Hu Uá Uá” – Capitão Fantasma (1992/PolyGram)

::Lado A::
– Sagres
– Vício
– Parei o carro
– Speedy Gonzalez
– All shook up
– Mistery train

::Lado B::
– Hu Uá Uá
– Ring on fire
– Os mortos
– Até ao fim
– Rock das caveiras

COMPARTILHE
Artigo anterior
Próximo artigo
Rui Dinis é um pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA