COMPARTILHE

penaterra_press

A banda do Porto, Pé na Terra comemora 10 anos de carreira dedicados à nova abordagem da música tradicional, com um novo disco intitulado “Sarilho”.

A apresentação deste trabalho é acompanhada de uma digressão que conta já com diversos concertos confirmados na peninsula Ibérica, Itália, Croácia, Eslovénia e França.
Em Março e Abril, os Pé na Terra ensarilham-se por Vila do Conde, Amarante, Lisboa e Chaves.

Como o Sarilho trasmuta as maçarocas saídas do ventre do fuso em meadas, assim os “Pé na Terra” fiaram em música os seus originais, as falas e os escritos recolhidos no sopé do Marão.
Nasce assim, um ensarilhado de sons, imagens e sentires, resultado do laborioso trabalho de plantação e crescimento ao longo de uma década de maturação e florescimento.
 
Ao estabelecer uma residência artística na cidade de Amarante, a banda apostou na exploração e valorização da riqueza patrimonial da região cuja envolvência serviu como ponto de partida para a elaboração do novo disco.

Os Pé na Terra têm trabalhado em estreita cooperação com a Artesania, uma associação de carácter cultural, criada em Amarante que tem por objecto a promoção das artes populares tradicionais e artesanato característicos da região onde se inclui o trabalho sobre o linho. Assim, foi pensada e elaborada uma capa para o disco concebida em linho. As diversas artesãs que colaboram com a associação imprimem o seu cunho na tecelagem, bordado e encadernação desta peça que será o suporte para o CD.
 
“Sarilho” segue o fio andarilho dos dois trabalhos anteriores, que é o reconhecimento da importância dos cantautores na música nacional. Se, no primeiro disco foi feito destaque a José Afonso e no segundo a Adriano Correia de Oliveira, já no terceiro, os Pé na Terra imprimem a sua linguagem musical e interpretação muito própria em dois temas de Sérgio Godinho – “O Galo é o Dono dos Ovos” e “Que Força é Essa”.
 
Este trabalho promete ser mais passo de gigante de um grupo que nunca se cansa de mostrar na sua música que é possível haver um cruzamento entre a tradição e os sons do presente. Um encontro de sonoridades, cheiros e culturas entrelaçando novos caminhos da folk.

agenda_penaterra

DEIXE UMA RESPOSTA