audições

Rádio Memória – Uma História

Por em 25 Set 2011

Tenho uma proposta interessante para todos os que lêem e ouvem este blog. A ideia é simples e está relacionada com os mais de 70 temas que tenho adicionado ao longo dos anos à Rádio Memória d’a trompa. Genericamente, peguei em todos os temas e ordenei-os cronologicamente. O primeiro data de 1960, o último de 1993. E o que vos proponho é uma viagem; pelo tempo; pela música portuguesa. Naturalmente, este é um exercício sem qualquer fundamento ou pressuposto histórico, pretende apenas dar uma ideia de alguma da música que se fez neste país desde a década de 60. Acho que é um exercício engraçado. Divirtam-se!


This text will be replaced by the flash music player.


// PLAYLIST //
Trio Odemira – Cancão do Mar (1960)
Zeca do Rock – Sansão foi Enganado (1961)
Conjunto Mistério – Alecrim (1964)
Conjunto Académico João Paulo – Hully Gully do Montanhes (1965)
Sheiks – Missing You (1965)
Os Ekos – Esquece (1965)
Blusões Negros – Tequilla (1966)
Os Chinchilas – I’m a Believer (1967)
Quarteto 1111 – A Lenda de El Rei D. Sebastião (1967)
Simone de Oliveira – Fúria de Viver (1969)
Filarmónica Fraude – Os Bem Aventurados (1969)
Quarteto 1111 – Bissaide (1969)
Pop Five Music Incorporated – Page One (1970)
Frei Hermano da Câmara com Quarteto 1111 – Vem Senhor Jesus (1973)
Carlos Bastos – Hey Jude (1973)
Petrus Castrus – Porquê (1973)
Fernando Tordo – Tourada (1973)
Ermelinda Duarte – Somos Livres (1974)
Rão Kyao – Zau (1976)
Saga – Cantiga de Imigo (1976)
Carlos Alberto Vidal – Corpo de mulher sem mal (1976)
Black Power – Nho Anton Escaderode (1976)
Perspectiva – La Fora a Cidade (1977)
Beatnicks – Somos o Mar (1977)
Petrus Castrus – Indecisão e Demência (1978)
Arte e Ofício – O Cargarejo da Galinha (1978)
Psico – AI’s (1978)
Agata e Tozé Brito – Abelha Maia (1978)
Paulo Alexandre – Verde Vinho (1978)
Ananga Ranga – Rocalhão (1979)
Gabriela Schaaf – Homem Muito Brasa (1979)
Adelaide Ferreira – Baby Suicida (1981)
Heróis do Mar – Saudade (1981)
IODO – Malta a Porta (1981)
Albatroz – O Júlio e um Duro (1981)
Jafumega – Ribeira (1981)
Manuela Moura Guedes – Foram Cardos Foram Prosas (1981)
Mario Mata – Nao ha nada pra ninguém (1981)
TAXI – Chiclete (1981)
José Mário Branco – FMI (1982)
Go Graal Blues Band – Hot River (1982)
Né Ladeiras – Humus Verde (1982)
Lena D’Água – Demagogia (1982)
Da Vinci – Hiroxima Meu Amor (1982)
Street Kids – Propaganda (1982)
Fausto – Navegar, navegar (1982)
Ferro e Fogo – Santa Apolónia (1982)
António Variações – Sempre Ausente (1983)
Clube Naval – Professor Xavier (1983)
Paulo Pedro Gonçalves – Rapazes de Lisboa (1984)
Aix-la-Chapelle – O Checo (1986)
SPQR – Flow (1986)
Francis – Mexico (1986)
Ban – Santa (1986)
Bastardos do Cardeal – Aranha (1986)
Bye Bye Lolita Girl – Sem Palavras Para Ti (1986)
Melleril de Nembutal – Mama (1987)
Júlio Pereira – Miradouro (1987)
Francis – O Despertar dos Mágicos (1989)
Linha Geral – Porque os Outros (1989)
K4 Quadrado Azul – Jardineiro (1990)
Sitiados – E Ela Cega (1992)
Sitiados – Junto ao Rio (1992)
Anonimato – Sei que não sou (1993)
Lucretia Divina – Maria (1993)

 

TAGS
RELATED POSTS
1 Comentrio
  1. Maria Isabel dos Reis cadêncio

    25 Set 2011

    Gosto do “pai Alentejano”, mas faltam outros atributos

DEIXE UM COMENTRIO

Rui Dinis
Portugal

Rui Dinis é um bi-pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Disco da Semana
Artigos Recentes
Redes Sociais
Por decisão pessoal, o autor deste blogue não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.