crítica

“Movimentos Perpétuos”, uma crítica

Por em 3 Jan 2004

Numa altura do ano em que tantas listas e listinhas dos melhores do ano vão sendo elaboradas, geralmente ignoram-se algumas pérolas (colectâneas temáticas ou biográficas) que se vão produzindo. Assim, este ano ficaria bem referir o fantástico duplo álbum de tributo ao mestre Carlos Paredes – “Movimentos Perpétuos” (8/10). Grandes instrumentistas, grandes músicas, grande álbum, quase 100%…

movimentos_perpetuos

Eis os nomes dos artistas:
Disco 1:
Sam the Kid “Viva!”
Gabriel Gomes “de braço dado”
Ricardo Rocha “Luciferianismo”
Verdes Sons “Um hálito de sonho”
Mísia “Coração”
Dead Combo “Paredes Ambience”
Rodrigo Leão “A janela”
Bulllet “Sur les cortes”
António Pinho Vargas “Dois violinos para Carlos Paredes”
José Eduardo Rocha “Prelúdios & Fugas sobre o nome de Carlos Paredes”

Disco 2
Gaiteiros de Lisboa “Movimento Perpétuo”
Carlos Bica & Azul “Chama do Sol”
Maria João e Mário Laginha “Mãos na parede”
Shelter Av. “O sono”
Ana Sofia Varela e Fredo Mergner “Na margem deste rio”
Marco Figueiredo “Dez anos de solidão”
Ana Sadio “Canto de saudade”
Lupanar “Encruzilhada em restos menores”
Loopooloo “…e mais uma coisa”
Belle Chase Hotel e Quinteto de Coimbra “Verdes anos”

Sítio:www.movimentosperpetuos.com

TAGS
RELATED POSTS

DEIXE UM COMENTRIO

Rui Dinis
Portugal

Rui Dinis é um bi-pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Disco da Semana
Os últimos…de há muito
Redes Sociais
Por decisão pessoal, o autor deste blogue não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.