Featured flash

Cinemuerte e o novo “DHIST”, num flash

Por em 5 Fev 2015

dhist

Os Cinemuerte têm um novo disco. Chama-se “DHIST” e foi editado no passado mês de Novembro pela Raging Planet. A trompa lançou algumas perguntas ao quarteto lisboeta, tendo a vocalista Sophia Vieira a amabilidade de responder:

“DHIST” é o primeiro de uma série de 3 EPs a editar pelos Cinemuerte durante os próximos meses. Em duas ou três frases, o que trazem de novo o Cinemuerte com este(s) disco(s) em relação aos registos anteriores?
Este novo trabalho é um dos três ep’s a lançar em ano e meio. Esta decisão prende-se com a nossa necessidade de dar continuidade à ligação que nos une ao exterior, que é essencial para nos sentirmos presentes na vida das pessoas. O nosso trabalho é para quem nos segue. Somos um só. Foi uma forma que encontrámos para quebrar a separação que tanto nos distancia entre álbuns.

Melodicamente é Cinemuerte. A essência está lá. Somos os mesmos 4 de antes. Talvez com mais uns quantos traços de vida nas mãos e no espírito.

No passado dia 17 de Janeiro, apresentaram o EP no Cine Incrível em Almada. Como correu o concerto? Como foi a recepção do público? E o que podem esperar as pessoas que vos forem ver ao vivo?
O concerto em si correu bem. Sentimos que a nossa missão de honrar o António Sérgio foi cumprida. Tivemos alguma pena, que alguns espectadores deixassem a sala após a projecção desperdiçando a oportunidade de nos conhecer. Afinal de contas, para certas pessoas, o evento não passou de um show off/”estive presente”. Há quem ainda não perceba o que é viver “música”.

Daremos sempre o nosso melhor. Trabalharemos sempre mais e mais para quem nos quer ouvir.

2015 ainda agora começou, como esperam que seja o ano dos Cinemuerte?
O ano promete ser “vivo”. Temos concertos agendados até Agosto, o que nos satisfaz imenso. Estamos já a preparar o nosso segundo ep com saída prevista para a “rentrée” pós-verão. [OUVIR]

TAGS
RELATED POSTS

DEIXE UM COMENTRIO

Rui Dinis
Portugal

Rui Dinis é um bi-pai 'alentejano' nascido em Lisboa no ano de 1970, dedicado desde Janeiro de 2004 à divulgação da música e dos músicos portugueses.

Disco da Semana
Artigos Recentes
Redes Sociais
Por decisão pessoal, o autor deste blogue não escreve segundo o novo Acordo Ortográfico.